Personal Branding: por que eu deveria me importar?—Mantendo sua essência e investindo em sua marca

1_K_kjtzFgSsGZlJs3STzU0Q

No artigo anterior, vimos um pouco do que é o Personal Branding e tivemos uma visão do quanto nossa marca pessoal é importante em nossa carreira. Ela é importantíssima para ditar nossa trajetória e a forma com que as pessoas se lembrarão de nós.

Veremos agora o quão importante é estarmos atentos com a visão que passamos para as outras pessoas com nossas atitudes e possíveis formas de investirmos em nossa marca.

Sobre tentar ser o que não é

Um erro grave cometido por muitas pessoas é tentar aparentar um estilo ou uma cultura que não possui — algo artificial. Tentar usar terno, gravata, roupas de alfaiataria e relógios e pulseiras caras que não te deixam confortável apenas para causar uma impressão não irá funcionar por muito tempo. Garanto isso porque não faz parte da nossa essência; em algum momento você deixará escapar algo inevitavelmente que mostrará a outras pessoas seus reais gostos e preferências, que irão divergir daquilo que você fingiu ser.

Há várias características que formam a imagem que as pessoas terão de nós, como:

  • O livro que você segura debaixo do braço (revistas de fofoca, livretos com exercícios de palavras cruzadas e lógica, livros de business e gerenciamento de negócios);
  • O quão limpo está seu carro (se ele está repleto de papéis de bala e biscoitos no chão ou se está impecável e perfumado);
  • A organização da sua mesa de trabalho (se você possui retratos de familiares, coleção de bonecos, papéis e canetas bagunçados…);
  • A maneira com que você anda (olhando para baixo, com o peito estufado, com a coluna ereta);
  • As músicas que ouve (MPB, rock, folk…)
  • O corte de cabelo (um corte mais despojado, um cabelo com gel e um pouco de pomada);
  • A força no aperto de mão.

Tudo isso reflete sua marca e o caracteriza diante a diversas pessoas. Preste atenção em como isso está refletindo na sua reputação e em como você quer ser visto. Lembrando que você não deve mudar sua essência, mas deve trabalhar para que sua marca reflita o que deseja.

Investimentos em sua marca pessoal

Quando se fala em investir em marca pessoal, muitas pessoas podem ter a visão de gastos exorbitantes em cursos, eventos, entre outras formas de tentar se diferenciar e garantir sua presença. No entanto, se esquecem de coisas simples, que podem ser muito mais efetivas em garantir sua participação e alavancar sua carreira.

O que eu quero dizer é que compartilhar conhecimento pode ser uma das formas mais gratificantes de construir sua marca. Isso pode ser feito de diversas formas simples:

  • Oferecer palestras gratuitas nas faculdades por onde você passou, mostrando sua experiência no mercado e o quanto foi útil aquele curso para você;
  • Ministrar cursos na empresa em que trabalha para expandir o conhecimento dentro da organização e ampliar as skills dos outros colaboradores;
  • Escrever e publicar artigos sobre conteúdos que você tem feição e domina — e se não dominar, procurar saber mais sobre aquilo lendo livros e assistindo palestras e escrever sobre o que aprendeu;
  • Colaborar com instituições a favor de alguma causa social;
  • Realizar palestras gratuitas pelo simples prazer de compartilhar o conhecimento que adquiriu e ver pessoas utilizando aquilo em suas carreiras e crescendo com um conteúdo fornecido por você.

São atitudes simples. Comecei compartilhando o que sei e isso se tornou um vício, de tão gratificante e prazeroso que é. Obviamente que requer um esforço e responsabilidade de preparo de todo um conteúdo que será usado como base por diversas pessoas. Não só isso, mas às vezes você precisa abrir mão de várias coisas. Deixei de ir a eventos, tive que dizer “não” a várias pessoas e fazer escolhas por estar envolvida em construir algo maior, tive que me deslocar do interior à capital para palestrar (onde a maioria dos eventos de minha área ocorrem) e, por vezes, não dormir por noites, em prol de ver outras pessoas felizes e aprendendo com meu auxílio. Tudo vale a pena.

Oportunidades podem aparecer a qualquer momento para as pessoas que se importam. Ofereça o que você tem de melhor. Sua capacidade de ver o que os outros não veem.

Além de compartilhar conhecimento, é importante buscá-lo também.

Não se agarre à estabilidade, imaginando que você não precisa se aperfeiçoar e continuar aprendendo apenas por estar numa posição há muito tempo na mesma empresa. As competências que você precisava ter há 5 anos atrás mudaram, e se você não se atualizar, dará espaço para outros produtos do mercado ocuparem o mesmo espaço da prateleira.

Precisamos estar sempre aprendendo e informados no mundo globalizado em que vivemos.

Diante de tanta informação, precisamos ser seletivos para buscá-la com sabedoria. Tome cuidado para não generalizar e querer aprender tudo de uma vez, acabando por se perder e não aprender nada coerente. Você não conseguirá ser tudo.

Trace o que é mais importante para a sua carreira e seus objetivos e priorize o que deve estar presente na sua curva de aprendizado. Analise o quanto aprender o conteúdo x vai agregar na sua carreira a curto, médio e longo prazo.

Seja aliado do tempo e use-o a seu favor!

Irei abordar no próximo e último artigo o quão importante é o networking em nossa carreira e o quanto sua rede de contatos pode influenciar na conquista de seus objetivos.

Te vejo lá!

0 Gestei
0 Não gostei

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *