Inteligência de mercado

Big data no setor de finanças: o que essas operações ganham com isso

01/04/21 por Washington Fray

Sabemos que cada vez mais empresas buscam gerir sua operação com base em dados atualmente, inclusive aplicando o big data no setor de finanças.


Apesar de não parecer, as empresas do setor financeiro têm um modelo de negócio que, como veremos, necessita do sistema de dados para evoluir.


Por exemplo, empresas de serviços e produtos financeiros geram fluxo constante de informações e o que pode ser melhor do que o big data para gerir tudo isso?


O encaixe perfeito com o modelo de big data acontece pelo olhar sobre novos regulamentos e padrões que mudam com frequência.


Nesse sentido, as empresas que baseiam sua operação por dados geram novas fontes e métricas mais complexas a cada atualização.


A partir da tecnologia dos sistemas de big data, os bancos e instituições financeiras negociam com clientes a qualquer momento, usando algoritmos.


Além de apoiar diretamente o crescimento do negócio, o sistema de dados consegue aperfeiçoar a eficácia da operação em tarefas do dia a dia. 


Para esclarecer como o big data pode contribuir com a transformação de uma empresa a partir de um sistema de dados, nós criamos este artigo.


Portanto, fique conosco até o final deste conteúdo porque vamos mostrar quais os benefícios mais importantes para empresas que aplicam o big data no setor de finanças.

Benefícios do big data no setor de finanças

Volume, velocidade e variedade

Existem três características básicas que definem os sistemas de big data, conhecido como “3 Vs”: volume, velocidade e variedade.


Todos fazem integração com o modelo de negócio de uma empresa da área financeira.

O volume de dados gerados pela indústria financeira inclui cotações, dados sobre o mercado e informações comerciais. 


Considerando apenas a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), o volume de dados pode chegar a um terabyte em 24 horas.


Em relação à velocidade, podemos usar como exemplo a agilidade com que o sistema de dados pode armazenar ou processar informações.


Gerenciar dados em alta velocidade faz parte do DNA dos mercados financeiros e o big data surge como ferramenta essencial neste cenário. 


Ou seja, quanto mais rápido os sistemas processam os dados, maior a velocidade de gerenciamento das negociações.


Certamente, a variedade também é parte integrante dos sistemas de big data no setor de finanças, principalmente por organizar dados comerciais, de mercado e de empresas, ao mesmo tempo.

Conhecer o cliente

Todos os sistemas de big data coletam dados e eles representam maiores possibilidades de conhecer as características de cada cliente. 


Ao aplicar o big data no setor de finanças, ou em uma empresa desse ramo, o gestor consegue oferecer soluções personalizadas para cada perfil.


Atualmente, o conceito open banking, banco aberto em português, oferece aos clientes a liberdade de fazer movimentações pelas plataformas mais convenientes.


Sem dúvidas, o impacto desta tecnologia traz maior agilidade para o dia a dia das pessoas e empresas e isto reflete diretamente no mercado.

Nesse sentido, o big data aplicado ao setor financeiro ganha cada vez mais importância ao usar dados para entregar melhores soluções.


Em outras palavras, cada vez mais os clientes terão serviços bancários personalizados e, de certa forma, podemos ver este movimento começando hoje em dia.

Análise de risco

Outro benefício oferecido pelo big data para as empresas do setor financeiro passa pela análise de risco, principalmente em relação aos dados referentes a empréstimos.


Por exemplo, as operações financeiras que usam big data podem calcular os juros deste tipo de negociação de acordo com o risco de inadimplência do cliente.


Desta forma as empresas deste segmento encontram formas de tornar os empréstimos bancários uma atividade lucrativa.


Para saber mais sobre como desenvolver soluções de big data precisas para o seu negócio, conheça as soluções da Viceri!


Tags: