Personal Branding: por que eu deveria me importar? —Objetivos e Networking

1_RDYzfZMgXn95AoY8cJFE7w

Nessa série composta por três artigos, vimos sobre a importância da gestão da nossa marca pessoal e como investir nela ao mesmo tempo que a essência é mantida.

Neste último artigo, iremos fechar a sequência falando sobre a importância de vermos as barreiras que encontramos em nosso caminho como oportunidades e o quão importante é construir uma rede de contatos — e mantê-la ativa.

Seja amigo dos problemas

Proatividade. Quantas vezes você já reclamou de algum processo dentro da sua organização ou de alguma coisa que está presente na sua rotina? Tenho certeza que não foram poucas, e que muitas vezes você não moveu um passo ou pensou em alguma forma de tornar esse problema menos agravante, ou tentar solucioná-lo.

Você não pode ser uma pessoa mediana, que foge diante de problemas e se conforma. Você deve ser uma pessoa que abraça problemas com a vontade louca de solucioná-los da forma mais excepcional possível, e utilizá-los a seu favor. Uma oportunidade de enfatizar suas competências e se diferenciar.

Sempre há alguma forma de melhorar alguma situação. Mesmo que não haja problema qualquer, como citei anteriormente. Há espaços vazios. Podem não ser nem de sua área. As pessoas que se importam em aprimorar o que já existe e procuram inovação conseguem, de forma inteligente, mostrar suas capacidades e o que possuem de melhor, melhorando sua visibilidade dentro e fora da organização. Pense a longo prazo e tome iniciativas.

Se definindo e traçando objetivos

Você deve estar sempre se questionando.

O que te difere de outros profissionais? O que você domina, além da função que exerce? Quais foram as ações que você tomou para resolver determinado problema que te diferenciaram e mostraram suas características mais fortes? O que você considera de melhor em você? O que você precisa melhorar? Quais são suas fragilidades?

O autoconhecimento é fundamental. É através dele que você traçará suas estratégias para construir sua marca e melhorar sua imagem.

O livro Personal Branding cita que você deve “comprar um bilhete”. Isso significa que você está sempre querendo ganhar na loteria, e muitas vezes é a sua vez de ganhar. No entanto, você apenas diz que quer ganhar; não faz o esforço mínimo que é comprar o bilhete para concorrer. Você tem que dar o passo. Você tem que traçar o seu objetivo para mudar o que não te conforta, ou alcançar o sonho que, há tempo, se encontra no baú.

No livro há uma passagem muito interessante que reflete, não só a importância de ter objetivos, mas traçar estratégias para alcançá-los.

Você já pegou uma folha de papel e a dividiu, colocando seus objetivos e traçando estratégias para chegar até eles? É um exercício muito bacana, que pode indicar o início de um caminho a ser trilhado para que você os conquiste e pense no propósito que sua carreira tem para você e como ela pode te ajudar a conquistar seus sonhos. Objetivos de curto, médio e longo prazo. Não colocar apenas de longo prazo é importante para que você não desanime, devido à demora na conquista dos mesmos. Não colocar apenas de curto prazo faz com que você não caia na zona de conforto por já ter conquistado todos os seus objetivos mais curtos, tendo ainda desafios maiores a serem cumpridos.

Se você não encontrar tanta efetividade nesse exercício, ou tiver uma dificuldade muito grande em realizá-lo, você pode tentar se imaginar alcançando seus objetivos. Descrever como seria a cena quando você conquistasse aquele sonho, aquela vontade, aquele anseio. Como você se sentiria? Estaria alegre? Chorando de emoção? O que você está fazendo com os braços? Eles estão no alto, abertos, ou estão juntos, com as palmas das mãos tocando-se como se estivesse agradecendo?

A importância do networking

Quando se fala em redes, é importante que você saiba como construi-las.

Sua marca deve passar confiança na sua rede. As pessoas devem ter confiança naquilo que você compartilha, vendo valor através de você. Isso se relaciona com um conceito importantíssimo presente no branding, que tem relação com o valor da marca. Não é você quem diz o quanto sua marca é poderosa. Você faz sua marca, mas é a sua rede quem dita o poder dela.

O poder pode variar. Para alguma pessoas sua marca pode ter um valor x, para outras x/2, outras ainda diriam 4x.

Construa redes pensando no seu mercado de atuação, mas não se restrinja a ele. Expanda seus horizontes, e explore outros territórios para que você consiga ver novas oportunidades e outros pontos de vista.

Tão crucial quanto construir uma rede, é você estar associado a pessoas que compartilham dos mesmos interesses que você. Pessoas que compartilham dos seus interesses verão valor no conteúdo que você compartilha e poderão levar aquilo adiante. Elas poderão compartilhar seu artigo, produto e posicionamento e fazer com que você passe a ser tido como referência. As pessoas da sua rede precisam possuir necessidade do conteúdo que você compartilha.

Ser um ativista de rede é importante. Manter os contatos ativos, se relacionar com eles e interagir com o que compartilham.

Sabe aquela pessoa que está sempre postando sobre assuntos que te interessam? Por que você não conversa com ela e a chama para tomar um café e debater sobre algum assunto? Essa pessoa, que pode ser sua referência, pode ter uma rede de contatos imensa e te levar a alguém que faça seu negócio alavancar e te dê a oportunidade que você estava precisando para alcançar seu objetivo. Aproveite as oportunidades e veja valor nas pessoas.

Se manter ativo na rede também inclui estar disponível. Não seja um oportunista, que cria redes com qualidade mas apenas quer tirar proveito do que ela lhe proporciona. Antes de receber, é preciso saber dar também.

Pessoas podem vir conversar com você e tirar dúvidas sobre algo que você compartilhou, um posicionamento seu sobre determinado assunto, ou pedindo-lhe algum auxílio. Não vire as costas para essas pessoas, nem menospreze ninguém. Relações saudáveis e de confiança nunca foram construídas quando uma pessoa dava algo já esperando o seu retorno.

Você é o resultado das experiências que proporciona. — Arthur Bender

Dentro das redes, é importante que você tenha alguém que te inspire. Alguém que você veja como referência, tenha benchmarkings. Pense nessa pessoa como um modelo a ser seguido. Analise o que ela fez em sua carreira. Onde acertou, suas decisões, o início e a posição atual. Veja se um pouco da experiência que ela possui pode te auxiliar na construção da sua própria carreira. Se comparar não é ruim, e pode te auxiliar a chegar aonde deseja.

Concentre-se em quatro coisas: se diferenciar, fazer algo que tenha valor para as pessoas, ter paixão pelo que faz e deixar seu legado. Dessa forma, você será o melhor do mundo.

Meu obrigada ao Marcel Pratte por me indicar esse livro que tanto me auxiliou a refletir sobre um tema que tenho profundo interesse, ao Arthur Bender e à Juliana Saldanha pelo conteúdo fantástico que compartilham sobre o tema e a todos que acompanharam essa série que escrevi com carinho.

0 Gestei
0 Não gostei

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *